O que é design thinking?

Em Comportamento profissional por André M. Coelho

Ao empregar o pensamento do design ou design thinking, você está juntando o que é desejável do ponto de vista humano com o que é tecnologicamente viável e economicamente viável. Também permite que aqueles que não são treinados como designers usar ferramentas criativas para resolver uma vasta gama de desafios.

O que é design thinking?

O processo começa com a agitação e entender as perguntas certas. É sobre abraçar mudanças simples da mentalidade e abordar problemas de uma nova direção. Basicamente é um processo para resolução de problemas criativos.

O pensamento de design tem um núcleo centrado em humanos. Incentiva as organizações a se concentrarem nas pessoas que estão criando, o que leva a melhores produtos, serviços e processos internos. Quando você se senta para criar uma solução para uma necessidade de negócios, a primeira pergunta deve ser sempre qual é a necessidade humana por trás disso?

O design thinking pode ajudar sua equipe ou organização:

Compreender melhor as necessidades não atendidas das pessoas que você está criando (clientes, clientes, alunos, usuários, etc …).

Reduza o risco associado ao lançamento de novas ideias, produtos e serviços.

Gere soluções que são revolucionárias, não apenas incrementais.

Aprender e iterar mais rápido.

Design thinking: exemplos de aplicação

O design thinking é aplicável, não importa o seu papel ou indústria. Se você trabalha em negócios, governo, educação ou sem fins lucrativos, o pensamento de design pode ajudá-lo a desenvolver soluções inovadoras com base nas necessidades de seus clientes. Há diversos estudos de caso que mostram o impacto do desenho de pensar em uma variedade de indústrias e práticas, auxiliando a obter mais resultados.

Etapas do design thinking

Nós ensinamos as fases do design thinking como etapas lineares, mas na prática, o processo nem sempre é linear. Algumas dessas etapas podem acontecer várias vezes, e você pode até pular para frente e para trás entre eles. Mover-se através das fases do design que o pensamento pode levá-lo de uma ardósia em branco para uma nova solução inovadora.

Quando feito certo, o pensamento de design ajudará você a entender a mentalidade e as necessidades das pessoas que você está criando, oportunidades de superfície com base nessas necessidades e levam a novas soluções inovadoras que começam com experimentos rápidos e de baixa fidelidade que fornecem aprendizagem e gradualmente aumentar na fidelidade.

Design Thinking para estratégias

O design thinking padroniza certos pensamentos para te ajudar em diversas estratégias. (Imagem: Pinterest)

Como aplicar o design thinking na sua vida?

O pensamento de design pode ser aplicado em sua vida e em sua empresa, bastando seguir algumas orientações claras:

1. Reúna insights, praticando empatia, observação e entrevista

Conhecer seus clientes é o primeiro passo para criar produtos e serviços que eles querem e precisam. Não assuma que você sabe o que alguém pensa ou sente. Reunir informações sobre seu consumidor alvo é uma peça crítica da abordagem de design thinking. Construa suas habilidades de entrevista com essas dicas.

2. Construa protótipos para aprender sobre as necessidades não atendidas

Você não precisa de muito tempo ou recursos para o protótipo. Comece com caneta e papel ou outros recursos acessíveis, como um deck de slides, para zombar de ideias e obter feedback que irá ajudá-lo a entender melhor as necessidades de seus clientes antes de investir em produção.

O objetivo não era para ter sucesso necessariamente, mas para a empresa ganhar alguns aprendizados que poderiam formar uma estrutura melhor.

3. Transforme problemas em perguntas

Quando apresentado com um problema, resista ao desejo de encontrar uma solução imediatamente. Desloque sua mentalidade para fazer uma pergunta que possa chegar a você mais perto da raiz do desafio ou apoiar uma melhora incremental.

Em vez de se concentrar em melhorar as taxas de retenção, por exemplo, pergunte “como podemos fazer uma melhor experiência de funcionários?” Ao refocalizar nas necessidades humanas reais, você vai descobrir insights que são mais capazes de dirigir em direção a uma solução.

4. Use pesquisa para entender o passado, presente e futuro

Use muitas técnicas de pesquisa diferentes para gerar insights em torno das necessidades das pessoas, mas não limitadas a, observação, entrevistas, empatia imersiva e explorando os usuários extremos. Geralmente, o tipo de pesquisa que você pode fazer cai em três baldes, pesquisa gerativa, pesquisa avaliativa e validação de pesquisa.

A pesquisa gerativa ajuda a identificar novas oportunidades e explora as necessidades.

Pesquisa avaliativa reúne feedback sobre experimentos e ajuda você a ir para a frente.

Esses dois tipos de pesquisa são focados no futuro e novas ideias, enquanto a pesquisa de mercado tradicional, conhecida como validação de pesquisa destina-se a entender o que está acontecendo atualmente.

Equilibre sua abordagem de pesquisa para se concentrar no que está acontecendo agora e o que poderia ser no futuro.

Você já usa o design thinking? Como? Quais aplicações tem para esta estratégia?

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

André é pós-graduado em pedagogia empresarial, especializando na padronização de processos. Possui mais de 300 horas em cursos relacionados à administração de empresas, empreendedorismo, finanças, e legislação. Atuando também como consultor e educador empresarial, André escreve sobre Recursos Humanos desde 2012.

Deixe um comentário