NR 35 de trabalho em altura: treinamento e EPI!

Em Segurança do trabalho por André M. Coelho

O Ministério do Trabalho Brasileiro especifica que os profissionais que são obrigados a trabalhar em alturas acima de 2 metros devem cumprir o Regulamento Número 35 (NR-35) e completar o trabalho na formação de altura, conforme descrito no regulamento. A NR-35 aborda a segurança e precauções envolvidas com o trabalho em alturas.

O que diz a NR 35 de trabalho em altura?

A NR-35 estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção e segurança para trabalhar a altura. Isso inclui o planejamento, a organização e a execução de qualquer trabalho realizado em alturas, para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores nas atividades realizadas ao longo de dois metros de altura, ou qualquer atividade onde há risco de queda.

Curso de NR 35: o que precisa ter?

O curso de NR 35 precisa de tratar alguns conteúdos para garantir que tenha qualidade e te eduque completamente para os melhores resultados. Os conteúdos são:

Regras e regulamentos aplicáveis ​​ao trabalho em alturas

Sistemas e procedimentos para trabalhar em alturas

Análise de risco e condições de dificultamento

Riscos potenciais inerentes ao trabalho a altura e medidas de prevenção e controle

Equipamento de proteção individual para trabalhar em alturas: seleção, inspeção, manutenção e limitação de uso

Acidentes típicos no trabalho em alturas

Aprendendo nós

Material suspenso

Sistemas, equipamentos e procedimentos de proteção coletiva

Instalação e deslocamento da linha de vida

Comentando a fixação de pontos de fixação

Comentários sobre o uso de andaimes

Sistemas de amarração

Uso de pau manobra

Procedimento em emergências, técnicas de resgate e noções de primeiros socorros

Concluir a análise de risco e autorização de trabalho especial

Concluindo o formulário de avaliação

Uso de cinto de segurança

Trabalho em equipe

Condições inseguras

Tipos de escadas e deslocamento

Técnica de descida para cordas (rapel)

Técnica de escalada para cordas

Noções de auto-resgate e vítimas simples resgate

Medidas de segurança para trabalho em altura

Para o trabalho em alturas, é necessário garantir sua segurança e reduzir os riscos do trabalho. (Imagem: divulgação)

Cuidados no trabalho em altura

Faça o máximo trabalho quanto puder enquanto estiver no chão.

Certifique-se de que os funcionários possam mover-se com segurança para e da área onde estão trabalhando em altura.

Certifique-se de que o equipamento que você está usando para o trabalho seja forte, estável e adequado o suficiente para fazer o trabalho. Inspecionar e mantê-los regularmente.

Tenha cuidado quando estiver trabalhando perto de uma superfície frágil.

Certifique-se de que você esteja protegido contra objetos em queda.

Faça preparações para evacuações de emergência e resgates.

Não sobrecarregue as escadas que estão trabalhando, com equipamentos ou materiais.

Não tente chegar muito quando você estiver em uma escada ou escada.

Não use escadas para fazer trabalho que impliques tarefas pesadas ou extenuantes. Usá-los apenas para fazer o trabalho que é rápido e leve.

Não permita que trabalhadores incompetentes façam qualquer trabalho a altura.

Não se incline ou coloque as superfícies superiores ou frágeis.

Não fique quieto quando você sente que alguém está comprometendo sua própria segurança ou a segurança dos outros

Inspeção do local de trabalho em altura

1. Geral

A todos os trabalhadores foram explicados procedimentos seguros de trabalho?

Um sistema de comunicação bem desenvolvido foi feito e explicado à força de trabalho

A iluminação adequada foi assegurada.

Área de trabalho inspecionada antes de iniciar o trabalho.

A área abaixo do local de trabalho barricada, especialmente abaixo de obras que estão ativas.

Trabalhadores recebem caixas para transportar parafusos, porcas e ferramentas manuais.

Arranjo para fixação de ferramentas manuais feitas.

Todas as plataformas de trabalho garantidas devem ser de força adequada e ergonomicamente adequadas.

Arranjos e verificações para qualidade e tipo de soldagem de material, ancoragem, etc.

2. Acesso / saída

Passagens fornecidas com trilhos de mão, guarda corpo, e pés?

Todas as placas quadriculadas, grades devidamente soldadas / aparafusadas

Escadas inspecionadas e se são mantidas em boas condições

Eescadas emendadas

São escadas devidamente presas para a prevenção de escorregamento, deslizamento ou queda

Os trilhos laterais estendem além do topo do pouso

São escadas integradas construídas de materiais sonoros

Escadas de metal não usadas em torno de perigos elétrico

Manutenção e armazenamento adequados

Escadas, escadarias soldadas / aparafusadas corretamente

Qualquer obstrução nas escadas

Escadas colocadas no encosto certo

Se a rampa é fornecida com inclinação adequada

Rampas adequadas

3. Serviço de limpeza

Passagens, corredores e todos os locais de trabalho sobrecarregados compensados ​​de materiais soltos

Material inflamável, se houver, limpos do local

Todo material de exclusão é removido após a desanimação é feita

Plataformas e passarelas livres de óleo / graxa ou outro derramamento escorregadio

Sucata coletada e outros objetos de resíduos de aço são removidos da altura

Equipamentos para trabalho em altura

Capacete de segurança

Calçado de segurança

Arnês de corpo inteiro enquanto o trabalho deve ser ancorando

Luvas de mão

Macacão ou uniforme de trabalho com proteção adequada, bem como conforto térmico.

Óculos de segurança.

Ponto de ancoragem fornecido em todos os locais de trabalho.

Linha de vida geral fornecida onde quer que o movimento linear na altura seja necessário

Redes de segurança estão em uso sempre que necessário

Um sistema de detenção de queda é fornecido, monitorado e implantado em locais de trabalho críticos.

Placas de esteira / sistema de segurança para trabalho no telhado frágil são usados

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

André é pós-graduado em pedagogia empresarial, especializando na padronização de processos. Possui mais de 300 horas em cursos relacionados à administração de empresas, empreendedorismo, finanças, e legislação. Atuando também como consultor e educador empresarial, André escreve sobre Recursos Humanos desde 2012.

Deixe um comentário